terça-feira, 14 de julho de 2009

“Porta meio aberta”




O barulho que acalma
Que faz parar o olhar
Nesta porta meio aberta
Que ninguém sabe fechar

Nem mil braços que empurrão
Nem mil mãos a puxar
Conseguem fechar esta porta
Que parou o respirar

Gritos, berros, gemidos
Um abraço para acalmar
Esta porta entreaberta
Nunca se irá fechar

Um suspiro de desespero
Mais uma lágrima caiu
No vazio desta porta
Nascerá um novo rio

Soluços incontroláveis
Sem saber onde parar
Um amigo chega
E a porta vai fechar.

By: Marta Bairreira

Sininho

1 comentário:

carla mar disse...

... deixa (de propósito!) a porta entreaberta ;)

beijoka